Peças do Quebra Cabeças 4

Hoje publico o texto de Fernando Monteiro, que dispensa apresentações. Como o texto foi publicado originalmente antes do lançamento em Garanhuns, tomei a liberdade de alterar a data e o local:

MAIS UM VEZ ESTÁ VINDO DE GARANHUNS um texto ficcional cuja tessitura revela a mesma paixão literária de um Nivaldo Tenório (cujo “Dias de Febre na Cabeça” a Confraria Do Vento relançou ano passado, amplificando o alcance dessa que é uma das melhores coletâneas de contos brasileiros publicadas nos últimos anos). Agora, é a vez de Amâncio Siqueira lançar “Quebra Cabeças”, uma espécie de “carta de navegação” — em forma de romance — pelos livros que formaram a sensibilidade do jovem escritor de Afogados da Ingazeira (1982) radicado em Garanhuns. O lançamento é amanha (05), na Câmara de Vereadores da princesa do Pajeú e atual jardim de atividades literárias em ebulição. Não é uma hipérbole. Você lê o novo romance de Siqueira (o primeiro foi “O Evangelho de São Pecador”, de 2010), e percebe que não poderia ter sido escrito com o morno temperamento literário de tantas obras ficcionais que têm aparecido, no Brasil inteiro, apenas como desnorteada expressão de uma — vaga — “vontade de escrever”. Nivaldo Tenório e Amâncio Siqueira, em Garanhuns, sinalizam noutra direção: a do empenhamento em obras que revelam leituras verticais, vida interior e capacidade imaginativa de fazer a literatura interrogar o nosso tempo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s